sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Ricky Martin educa sobre o tráfico de seres humanos que é um dos crimes mais lucrativos do mundo

Olá pessoal!

A Fundação Ricky Martin abriu em San Juan seu quarto pavilhão sobre o tráfico de seres humanos,  "La Trata = Explotación" "Tráfico = Operação", o segundo crime mais lucrativo do mundo para aumentar a conscientização da ilha sobre as consequências sobre o crime.

"Hoje nós reafirmamos o nosso compromisso com as crianças e continuamos a avançar neste caminho que temos tido grandes conquistas", disse Ricky Martin em um comunicado de imprensa por causa de sua ausência na abertura do centro, localizado na Plaza Las Americas, o maior shopping do Caribe.

O artista porto-riquenho também agradeceu a "todos os parceiros e voluntários" que colaboraram com o propósito de "continuar a aumentar a conscientização sobre o crime de tráfico", e garantir que sigam "nesta caminhada" para combatê-la.

Veja o vídeo que Ricky gravou sobre o tráfico de seres humanos e que está sendo exibido no pavilhão.

 

O pavilhão apresenta todos os tipos de material educativo relacionado com o crime de tráfico de seres humanos e inclui os mais recentes resultados da investigação conduzida pela fundação. De acordo com a Fundação Ricky Martin, 30 milhões de pessoas em todo o mundo foram vítimas de tráfico humano, crime gera cerca de 150 mil bilhões por ano, uma quantidade perdendo apenas para o tráfico de drogas.

O espaço também contém testemunhos das vítimas deste crime pendurados no teto e vídeos curtos em que a trajetória dessa entidade explicou para combater o tráfico.

Entre os temas apresentados nas imagens são exemplos vivos em Porto Rico que retratam as diversas formas de crime.

Além disso, a importância da pesquisa para aprender e entender o que pode ser feito para combatê-lo, além de influenciar as diferenças de tráfico de Puerto Rico, em comparação com os países da Ásia e da Europa Central é assinalado.

O artista porto-riquenho está envolvido com esta causa após uma viagem em 2002 levou-o para a Índia, onde ele poderia ver em primeira mão a extensão do tráfico de crianças na China.
Martin decidiu unir forças com o sociólogo César Rey, da Universidade de Porto Rico (UPR), o centro de Johns Hopkins de Baltimore (Maryland) e dez pesquisadores para tentar combater este problema em Cuba.

O estudo "Tráfico de Puerto Rico: Um Desafio Invisível", apresentado por Martin em fevereiro de 2010 no UPR, coletar casos reais de pessoas que foram vítimas desse crime.

O estudo observa que mais de 800.000 pessoas são vítimas de tráfico de seres humanos a cada ano na fronteira entre Estados Unidos e assegurar que 50% dos afetados são crianças. O relatório, que foi incluído pela primeira vez aos Estados Unidos usando os mesmos parâmetros para outras nações que procuram pressionar os países a tomar medidas mais enérgicas contra este crime.


Fonte: Indice PR