sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Ricky Martin estremece o Madison Square Garden

Olá pessoal!

Ontem foi show de Nova York no Madison Square Garden! Ricky Martin estava muito feliz! Ingressos esgotados, entre os amigos, imprensa e famosos na plateia estavam parte do elenco de Evita. Confiram um resumo da noite de ontem feita pelo jornal El Nuevo Dia.

Nova York – “Sube La Adrenalina?” Subiu, e permaneceu em níveis que as pessoas com baixa resistência física podem eventualmente suportar. Ricky Martin manteve em pé, os milhares de homens e mulheres, de jovens a adultos até os mais velhos, que na noite passada encheu o Madison Square Garden, ao entregar-se a eles com uma combinação de energia, dança e boa interpretação.


A entrega foi completa da primeira à quarta fase em que transita o espetacular show  "One World Tour", em que o artista de 44 anos se apresenta em total domínio do palco. A sua integração em coreografias explosivas e até a  sua forma provocativa de fazer o público dançar ao seu capricho, complementam perfeitamente seus sucessos musicais, até uma de suas  mais recentes produção "A quien quiera escuchar."


As performances se deram com a sincronização de luzes oito telas móveis, oito dançarinos e nove músicos liderados pelo guitarrista cubano David Cabrera.


A exibição de luzes brancas e vermelhas marcou o início do show logo após as 8:30 desta quinta-feira. A iminente entrada do cantor causou euforia e provocou milhares de celulares prontos para registrar o momento.


Elegantemente vestido com jaqueta e calça azul, combinado com camisa branca e gravata preta, Ricky Martin desceu ao centro do palco desde uma plataforma e imediatamente contagiou o cenário com a música "Mr. Put It Down ".


Ele não exagerou quando horas antes do concerto, disse ao “El Nuevo Dia” que o início seria uma dança forte e intensa. "This Is good", "Drop It On Me" e "Shake Your Bon Bon" -Topic em que o bailarina porto-riquenha Tatiana Delgado levou sua “nalgadita” mantendo uma atmosfera de discoteca, que ele apreciou junto com o público.


A adrenalina estava em um nível alto quando o “reggaeton” Wisin voltou, tendo sido ele fazer a abertura do show, para se juntar a estrela pop em "Adrenalina".


"Vamos Nova York. Deixe-me vê-lo! " Foi a saudação do artista para os fãs de diferentes nacionalidades que fez o show acontecer. "Wow!" Ele disse antes de morder os lábios e olhar para toda a platéia. Então, ele os convidou para “serem livres, para serem felizes, para deixar levar, porque isso se trata de amor, de igualdade, de liberdade, de ser você mesmo”.


A intensidade caiu um pouco com  atransição para o segunda fase com a música "Talvez."  Em cima de um velho Mustang e da mão do motorista tentando sintonizar o rádio, marcou o início da próxima fase com o clássico "Livin La Vida Loca".


Como fez em sua turnê anterior, "MAS", o artista voltou ao capô do veículo conversível para reviver o tema que tem viajado o mundo. Os arranjos mais roqueiros vieram para esta parte do show, em harmonia com os novos efeitos, coreografias e iluminação, fazendo com que este e outros sucessos repetidos no repertório tenha uma nova cara.


Com uma camisa sem mangas, saia preta, meia na panturrilha e acompanhado por um corpo de bailarinos homens, cantou "It’s All Right".


Um jogo excelente entre, artistas, dançarinos e luzes foi repetida em "She Bangs". Em cima de um elevador, Ricky Martin ativou com movimento suave, cada um dos elevadores com os bailarinos, e assim mesmo sincronizava com um jogo atraente de luzes.


A próxima fase começou com baladas visuais referindo-se ao trabalho da Fundação Ricky Martin contra o tráfico humano. No meio das oito telas que ocupavam a frente ao palco, o protagonista da noite reapareceu com "Asignatura Pendiente". As veias foram cortadas com “Disparo Al Corazón", "Tu Recuerdo e “Vuelve".
A festa, a emoção, e a energia retomou seu lugar na última fase que abre com uma recriação em palco, muito ao estilo Broadway, o vídeo de "Adios".


Foi com seus hits "Lola", "Maria", a mais recente, "La mordidita", "La bomba", "Por arriba, por abajo" "Pégate" e "La Copa de La Vida", que alcançou uma conexão impressionante com o público, que foi despedindo-se em meio a uma festa de confete branco e um sorriso que transbordava satisfação.

Este concerto será apresentado no Coliseo de Puerto Rico, na sexta-feira 12 de Fevereiro. As vendas de ingressos começam hoje -> http://t.co/cCLCF9CeGT

Video:


Tradução: Rosane Gonçalves
Fonte: El Nuevo Dia.