quinta-feira, 5 de junho de 2014

Ricky Martin: "Eu me vejo no espelho e ainda me quero"

Olá pessoal! Ricky está na Espanha com seus filhos para promover "Vida", uma das músicas oficiais da Copa do Mundo no Brasil, confira a tradução da entrevista que ele concedeu ao site espanhol ABC.

Ricky Martin: "Eu me vejo no espelho e ainda me quero"

Ricky Martin está com quarenta e dois anos, dos quais trinta ele um viveu no palco. E ainda com apenas oito meses de idade ele fez seu "primeiro trabalho" e poderia se aposentar, um talento nato declarado. Ele está preparando seu novo álbum, é o "coach" da edição australiana do show de talentos do "The Voice", escreve livros infantis e acaba de desembarcar em Madrid para promover "Vida", uma dos canções oficiais do Mundial Futebol no Brasil. Mais de doze milhões de pessoas já viram o vídeo, que vem 15 anos depois de "La Copa de La Vida", o " hino " da França em 98.

"Quando eu parar de me divertir, então eu vou para a minha casa. Mas agora eu me sinto melhor do que nunca. Se eu tomar os meus cafés ainda tenho a energia necessária de vinte anos atrás. E eu ainda tenho algumas rugas, e eu não coloquei nada de Botox. Eu me olho no espelho e ainda me quero", ele ri, apesar de reconhecer que ele vai voltar para o ginásio. "Eu não estou indo já faz um ano. Felizmente eu sou vegetariano, o que me ajuda a ficar em forma. Mesmo quando estou na Espanha eu não consigo dizer não ao presunto. Eu já vou ficar em apuros com a PETA (a famosa organização pelos direitos dos animais )."

O cantor chegou à Espanha acompanhado dos dois homens de sua vida, seus filhos, os gêmeos Matteo e Valentino, de cinco anos. "Eu tomei a decisão de me tornar um pai quando eu era solteiro. Eu não sou o primeiro pai solteiro e não serei o último", explica. Alguns meses atrás, foi relacionado com o artista Pablo Alboran  de Málaga, o rumor deu a volta ao mundo. "Eu fui para o estúdio com um jovem muito talentoso e nós concentramos na música. Claro que rimos dos boatos, nós não choramos. Além disso, eles não diziam nada de ruim. Mas eu estou bem, não há nada a dizer", esclareceu.

"A estabilidade dos meus filhos sou eu"

Enquanto conversava com o ABC, seus filhos estavam estudando com o seu tutor francês em uma sala adjacente. "Eles vão comigo a todos os lugares. Mesmo com todo o trabalho que eu tenho, eu aproveito o tempo com os meus filhos muito mais que muitos pais que trabalham de oito a seis horas. Eles estão muito felizes viajando comigo e eles já conhecem os museus e zoológicos de metade do mundo... As pessoas não dão crédito quando vêem as milhas que você acumulou no programa milhagens da companhia aérea como passageiro frequente."

Os Martin são uma família moderna, multicultural e globetrotting. E parece que essa lei não vai mudar para as crianças. "Meus filhos precisam de estabilidade e a estabilidade sou eu. Não conhecem outra coisa. Se ficar muito tempo em um lugar me perguntam: ''pai, quando vamos viajar?". E por quem eles vão torcer na Copa do Mundo no Brasil? "Eu sou de Porto Rico, mas vivi no México, Argentina e Brasil. Tenho nacionalidade espanhola, meu empresário é o alemão, o professor dos meus filhos é francês ... Eu quero dizer, eu não posso escolher ninguém. Mas seria a minha final do sonho um jogo entre Brasil x Espanha ou Brasil x Argentina. Isso seria uma loucura!".

"Fã de Conchita Chorizo"

Antes de Madrid, Ricky fez uma escala em Viena, para se apresentar ao lado Conchita Wurst, o vencedor controverso da Eurovision, em um baile de gala beneficente contra a AIDS. "Eu sou um fã de Conchita "Chorizo'''' (risos ). "Eu a admiro por seu talento e por aquilo que ela representa. Dá -nos a esperança de que, apesar das queixas de alguns, triunfou. Ela conquistou com toda a sua força, dignidade e talento. Eu adoraria fazer um dueto com ela", diz ele.

E pouco antes de subir ao palco com a " mulher barbada "  Ricky cantou junto a freira Christine Scuccia, a sensação da Itália no 'The Voice'. " Eu adoraria cantar para o Papa Francisco e celebrar a diversidade. Francisco tem feito muitas coisas interessantes em um curto espaço de tempo, tem dado muitos gestos e humildade. É muito realista. Ele disse e fez  muitas coisas de impacto, gestos de inclusão. Eu gosto disso", Ricky admite.

E, como não para pensar em novos projetos, Ricky Martin não descarta o seu retorno a atuação. A crítica elogiou sua interpretação de "Che" Guevara em "Evita , o musical da Broadway. "Eu quero atuar de novo, eu quero fazer filmes. Há um projeto interessante para o início do próximo ano, onde eu tenho que transformar de forma intensa. Isto é o que eu estava procurando" . Essa será a sua enésima metamorfose.

Fonte: ABC
Texto: Claudia Salgado