domingo, 3 de novembro de 2013

Ricky Martin: Uma luta para toda a vida

Olá familia! Confiram a tradução da excelente matéria feita pelo site "El Nuevo Dia" de Porto Rico sobre o trabalho de nosso boricua na Fundação Ricky Martin.

Tradução:

Ricky Martin: Uma luta para toda a vida

Quando o cantor Ricky Martin começou a usar sua voz para alertar sobre o tráfico de pessoas, em 2004, ele sabia que eu estava assumindo uma luta para toda a vida, para sempre. "Isso não é algo a ser resolvido em cinco anos, este é um crime organizado", frase da dita durante as filmagens da campanha "People for Children", que formalizou a missão da fundação com o seu nome junto com os esforços para educar e prevenir o tráfico de pessoas em suas várias formas.

Já são quase 10 anos para definir o seu projeto social - que tinha como inicio o resgate de três meninas nas ruas da Índia - e quando as estatísticas locais e internacionais são cada vez mais alarmantes sobre o tráfico de pessoas, exploração sexual e trabalho, o intérprete está prestes a inaugurar o Centro de Tau em Loiza, um espaço de educação alternativa, que será o seu modelo para o mundo do que pode ser feito em favor de minimizar as vítimas.

"Estou bem contente, mas não conformado, nós queremos fazer mais. Este é um grande primeiro passo, nós não vamos resolver isso ficando em apenas um lugar. Tenho confiança de que, eventualmente, teremos muitos Centros Tau ", disse Ricky Martin ao El Nuevo Dia.

De mãos dadas com entidades públicas e privadas, como Nuestra Escola, SER de Puerto Rico, Iniciativa Comunitária, a fundação alemã RTL, e o governo central, que contribuiu com US$ 2,5 milhões de dólares, bem como o município de Loiza, que doou parte do terreno, o campus, que sediará os alunos do básico ao nível superior - se encontra na fase final de construção.

A estrutura projetada pelo arquiteto Elio Martínez Joffre juntamente com a empresa Aireko, liderada por Jorge Salas, fica na entrada da cidade de Loiza, em uma área de 2.700 metros, ao lado da Gruta Maria da Cruz.

A partir de março de 2014, a matrícula atual  do Projeto Nuestra Escola, que atende crianças e jovens que deixaram a escola, ou removidas pelo Departamento de Família por terem sofrido algum tipo de abuso, se mudaram para essa nova unidade para aderir a este programa de educação individualizado, que combina os ensinos acadêmicos, das artes, da saúde, da justiça social e esportes. A inscrição máxima será de 110 alunos.

"Este tem sido um processo de concepção de cada parte, e ao mesmo tempo é preciso que se respeite essa educação que é a alternativa,  que é personalizada, que é democrática, onde eles são líderes de seus próprios espaços", disse Bibiana Ferraiuoli, diretora-executivo da Fundação Ricky Martin.

O centro vai colocar salas intermediários e superiores no primeiro andar, cada um com uma capacidade de para atender de 8 à 14 alunos. A este nível haverá também um espaço aos cuidados do SER para os pequenos bebês a partir de um mês de idade até três anos e 11 meses. O ensino fundamental será no segundo nível. Todos os alunos serão crianças de participantes, de modo que você pode promover o vínculo familiar, sem afetar a educação dos mais velhos.

Os outros valores da planta física, que terá uma política eco-friendly, uma biblioteca, um anfiteatro, uma piscina e uma quadra de basquete.

Joffre Martinez indicou que, no processo de design, tornou-se importante criar uma sincronia entre todas as organizações para que o projeto vai funciona-se usando também a riqueza natural e cultural do lugar.

A fundação é consciente das necessidades locais dos moradores de Loiza, que nas últimas semanas foram palco de dois massacres. Sobre esta questão, o astro boricua, Ricky Martin refletiu que "a nossa contribuição vai transformar as crianças e jovens promovendo uma cultura de paz e educação holística para formar bons cidadãos para a comunidade de Loiza, de Porto Rico e do mundo" .

"Nós também estamos ancorados na entrada da cidade de Loiza, onde é que todas as comunidades se encontram, porque queremos que este seja um espaço para promover a cultura da paz", disse por sua vez Ferraiuoli. Na verdade, cerca de uma dúzia loiceños participaram da primeira fase de construção que gerou entre os 15 e 20 postos de trabalho, e a participação ativa dos alunos da Escola de Arquitetura da Universidade de Porto Rico, incluindo Edwin Pabon Sanchez. "Nós vimos isso como um processo participativo", destacou o arquiteto, que injetou no projeto uma forma mais humana do que técnica.

O Centro Tau Center será aberto em março de 2014, ele vai trabalhar em parceria com SER de Puerto Rico, Iniciativa Comunitaria y Nuestra Escuela.

Veja o vídeo das obras do Centro Tau:



Matéria original: El Nuevo Dia
Tradução: Claudia Salgado