terça-feira, 2 de abril de 2013

Ricky Martin não vai ser rude com os competidores do The Voice Austrália


Confira a tradução da entrevista feita pelo jornalista Michael Lallo para o site australiano "The Age"

Ricky Martin, o novo juiz do The Voice tocou fundo em algumas emoções sinceras desde que se assumiu, e agora ele  está aqui para ajudar os concorrentes a lutar por suas crenças e defender as suas identidades.

1 - Treinar artistas jovens no The Voice te lembra dos seus primeiros momentos no negócio da música? 
Ricky Martin (RM) - Eu comecei na indústria quando eu tinha 12 anos, mas não importa quantos anos você tem, as emoções são as mesmas. Você tem que ser querido por todos. Você tem momentos de grandiosidade no palco onde você pensa que nada vai te parar, seguido por momentos de medo. Eu sei com é isso.
É muito saudável para mim ser parte desse programa porque me lembrou da importância de estar em contato com a criança dentro de você.

2 - Alguns dos artistas esse ano são jovens com 16 anos. Você sente a responsabilidade de ser construtivo nas suas críticas? 
RM - Eu não acredito em amor impossível. Às vezes eu tenho que ser firme mas eu sou muito empolgado. Não é sobre quem eles são como artistas, mas é como uma transição deles para o próximo nível. E é um modo para fazê-los crescer, eu sinto que eu preciso ser positivo.

3 - Que conselhos você gostaria que alguém tivesse dado a você quando era um artista iniciante?
RM - Você precisa estar em contato com suas emoções. Você precisa estar vulnerável. Você precisa estar disposto a lutar pelas suas crenças e defender sua identidade.

4 - Desde que você se assumiu, você se sente como se fosse um modelo para os casais gays jovens?
RM - É uma grande responsabilidade, mas quer saber? Tudo que eu quero é ser eu mesmo. Eu quero ser um homem feliz, não só por minha causa, mas por causa dos meus dois filhos pequenos, que não merecem nada menos do que o melhor. Por isso eu decidi compartilhar minha história e meu testemunho: Então se isso pode ajudar quem briga com sua própria identidade. Algumas pessoas me disseram que falar sobre meus altos e baixos, que os ajudaram. Quando ouço histórias assim, realmente isso me faz feliz.

5 - Jessica Mauboy é a mentora n "Team Ricky -Time do Ricky" esse ano. Como é trabalhar com ela?
RM - Cara, ela é simplesmente adorável. Ela é uma mulher esperta e inteligente. A melhor coisa para os artistas na minha equipe é que ela esteve onde eles estão agora. [ Mauboy foi vice-campeã na quarta temporada do Ídolos Australiano.] Ela dá algo a eles que eu não posso.

6 - Nos fale da fundação Ricky Martin.

RM - Por muitos anos, eu venho trabalhando para aumentar a consciência sobre o tráfico humano e ser um defensor dos direitos humanos é algo que eu sou apaixonado. Mas infelizmente, há muitas crianças ao redor do mundo que são forçados a prostituição e pornografia. Nós criamos uma poderosa aliança com a UNICEF e as companhias que querem fazer mudanças positivas no mundo. Por agora, estamos construindo um centro no meu país, a ilha de Porto Rico, que é um porto seguro para as crianças.
É um trabalho árduo e envolve a luta contra o crime organizado. Mas é tudo baseado em salvar uma vida hoje e outra amanhã.

7 - Como você se envolveu nesse trabalho?
RM - Há muitos anos atrás, eu fui convidado a trabalhar em um orfanato na Índia. Quando eu cheguei lá, eles disseram, ''Ok Ricky. Vamos sair nas ruas e resgatas algumas garotas.'' Eu não tinha ideia do que eles estavam falando mas quando eu saí e vi aquelas garotinhas, apenas de seis anos de idade, sendo forçadas a prostituição. Me enlouqueceu.
Eu comecei a me educar sobre a questão e percebi que é algo que acontece em todo o mundo. Não só em países pobres, de modo idêntico, mas também em países desenvolvidos. Foi quando eu pensei comigo mesmo. ''Ok, espera aí. Se eu não falar disso, então eu estarei permitindo que continue''. Eu estou muito feliz de dizer que graças ao meu [perfil] , eu tenho sido capaz de levar a mensagem por aí e encorajar outros a lutarem comigo.

 A segunda temporada do The Voice começa domingo, no dia 7 de abril no canal 9.

Fonte: Site The Age
Tradução: Viviane Prates
Revisão: Claudia Salgado e Alessandra Saraiva